Usinagem convencional, como funciona?

Por definição, a usinagem convencional é um dos processos de fabricação secundários pelo qual o excesso de material é removido por cisalhamento.

Isso é feito a partir de uma peça pré-formada na forma de cavacos usando uma ferramenta de corte em forma de cunha. Dessa forma, no processo obtém-se a forma desejada, acabamento e tolerância.

No entanto, esta definição é adequada apenas para usinagem convencional. Os principais processos de usinagem convencional são vários.

Estes processos utilizam uma ou mais ferramentas cortantes para se obter superfícies determinadas, algumas feitas por projetos específicos. Saiba mais neste post.

O que é a usinagem convencional?

Existem muitos métodos e processos de produção disponíveis. Por isso, existem vários profissionais do ramo, que definem qual a melhor solução, para cada necessidade de produção encomendada.

– As máquinas e ferramenta usadas nesse processo, realizam, facilmente, movimentos retilíneos e movimentos de rotação, pela incrível rapidez.

– Combinações simples permitem obter formas como roscas e perfis de dentes de engrenagens.

– Os processos de transformação de metais e ligas metálicas em peças para a utilização em conjuntos mecânicos são inúmeros e variados.

  • Desde fundir, utilizar a metalurgia em pó, soldar ou usinar o metal, sempre a fim de conseguir a peça, que se deseja.
  • Ao se escolher um processo de fabricação, temos que considerar inúmeros fatores.

Fatores a serem considerados ao se falar desse tipo de usinagem

Por exemplo, a forma e a dimensão da peça, o material a ser empregado e suas propriedades, quantidade de peças a serem produzidas, tolerâncias e acabamento superficial requerido e principalmente, custo total do processamento.

Leia Mais:  Óleo sobrenadante: como e porque eliminar

Vamos simplificar o processo de usinagem convencional, por isso, explicaremos que todo objeto tem que ser cortado, furado, aplainado e arrumado. Tudo isso para que seja o material perfeito para a peça do trabalho que se precisa e necessita.

Através de maquinários específicos, a maioria citados acima e que usam energia elétrica, conseguiremos atingir o objetivo, de maneira precisa. Para isso, segue-se metas estipuladas por órgãos competentes governamentais, medidas de objetos moldados para serem únicos.

Estes objetos, são construídos e ajustados pelos maquinários. Podem produzir uma superfície suficientemente lisa e acabada e sem erros, de forma a terem diferentes usos e capacidades.

 

Pontos fortes da usinagem convencional:

  1. Na usinagem convencional, somente a energia mecânica é utilizada, para remover gradualmente o excesso de matéria da peça de trabalho.
  2. Isso significa que os maquinários, serão geralmente usados por profissionais qualificados para tal, mesmo que de forma praticamente automática.
  3. A remoção dos matérias será feita na forma de minúsculos chips afiados.
  4. Deformação de cisalhamento é o único fenômeno que causa a remoção do material.
  5. Para a ação do corte, um maquinário em forma de cunha afiada com geometria, material e propriedades específicas, é extremamente necessário.
  6. O contato entre a ferramenta de corte, a peça e também a velocidade entre eles é necessário para remover os materiais.
  7. Esses processos são antigos e, assim, a física dos processos é bem compreendida. Trabalhos qualificados também estão prontamente disponíveis a um custo comparativamente mais barato.
  8. Ele pode fornecer uma ampla gama de acabamento de superfície, dependendo do processo que é empregado e também dos parâmetros do processo.
  9. Estes processos são adequados para remoção em massa de material. Nesse sentido, eles são rápidos, confiáveis e econômicos.
Leia Mais:  Tornearia mecânica, como funciona?

Conclusões sobre a usinagem convencional

Entretanto, atualmente, existem certas formas que não podem ser produzidas por usinagem convencional.

Tais processos convencionais de usinagem são incapazes de lidar com as crescentes demandas por produtos miniaturizados, recursos e alta qualidade superficial.

Por isso, abre-se o caminho para a descoberta de processos alternativos, que podem produzir acabamento na faixa de nanômetros.

Mas, ainda assim, a usinagem convencional continua sendo o processo mais usado pelo setor de industrias, do mercado nacional e internacional.

Diversas ferramentas alinhadas aos maquinários usados para usinagem de torneamento, corte e canal (interno e face). Por isso, Essas ferramentas fazem e tornam o processo de usinagem convencional extremamente importante para as indústrias.

São produtos de altíssima qualidade, com diversas opções de revestimento, fabricados com metal duro e maquinário próprio.

Entre os usuários estão indústrias automotivas, autopeças, médicas, plásticas, tecnológicas, entre outras tantas.

Agora você sabe tudo sobre a usinagem convencional. Por isso, aposte na Braniva para adquirir esses serviç

Compartilhe este artigo


Deixe uma resposta